Alice no País das Maravilhas


51B0G7p0SoL._SX342_

Livro: Alice No Pais Das Maravilhas E Através Do Espelho

Autor: Lewis Carroll

Ano de publicação: 1865 / 1871

 

“Então, veja só, tantas coisas estranhas aconteceram ultimamente, que Alice começou a pensar que algumas coisas muito pequenas realmente eram impossíveis.” (minha tradução)

Olá, leitores! 🙂

Li ambos os livros para um curso de Literatura Fantástica e Ficção Científica que estou fazendo pelo Coursera. A propósito, indico muito esse site para quem está interessado em fazer cursos, em diversas áreas, promovidos por faculdades internacionais. Os cursos são gratuitos e, a grande maioria, em inglês.

No curso que estou fazendo, devo ler um livro determinado por semana, escrever um texto sobre ele e conferir textos de outros alunos também. Está sendo uma ótima experiência.

Escolhi fazer a resenha desses dois, porque eles também se encaixam nos desafios de fevereiro do Skoob e do I Dare You.

No primeiro livro, Alice segue um coelho branco que diz estar atrasado. Ao cair no buraco de sua toca, acaba em um mundo repleto de fantasia onde coisas muitos estranhas acontecem.

Ao longo da história, Alice se depara com o Chapeleiro, um gato que sorri, a guarda real composta por cartas do baralho, uma rainha que adora ordenar que cortem as cabeças entre outras tantas coisas impossíveis na realidade.

Na continuação “Alice Através do Espelho”, a menina mais uma vez vai parar num mundo mágico, um grande tabuleiro de xadrez. Como quer se tornar uma rainha, ela precisa avançar oito casas para chegar ao final onde, de acordo com a regras do jogo, um peão pode virar uma rainha.

Ao longo do caminho, encontra-se com flores que falam, com reis e rainhas, com um leão e um unicórnio e com muita magia e confusão.

Alice é uma personagem curiosa, corajosa e engraçada. Enquanto, conversa consigo mesma desenvolve umas ideias e teorias muito divertidas.

Ela representa a criança e sua capacidade de imaginar e aceitar a fantasia, consegue conviver com todo o impossível com grande facilidade. Ainda assim, também para representar a criança, ela questiona coisas aparentemente simples, mas que para ela não fazem sentido nem no País das Maravilhas.

Para mim, os dois livros são retratos da infância, de como as crianças são capazes de imaginar, de entrar em mundos fantásticos e, realmente, acreditar neles. No fim do livro, a irmã mais velha de Alice pensa sobre o País das Maravilhas, mas sabe que não pode ir até lá, pois já cresceu.

O narrador, diversas vezes, conversa com o leitor para explicar melhor algumas atitudes de Alice. Juntamente com isso, as metalinguagens e jogos de palavras enriquecem ainda mais o texto.

Os dois livros exploram muito a linguagem, tanto o som das palavras, como os significados de palavras e expressões. O segundo livro está repleto de poesia e de palavras inventadas. A forma como Lewis Carroll cria e brinca com as palavras faz com que ela se torne tão importante quanto uma personagem da história.

Clássicos que valem a pena serem lidos! Histórias para reanimar um pouco a criança dentro de cada um.

Há inúmeras edições e publicações dessa história. Mas como ela é bem antiga, já é considerada domínio público e, por isso, pode ser baixada de graça, legalmente.

Eu baixei aqui e aqui em inglês (com ilustrações aprovadas pelo Lewis Carroll e seguindo a indicação dada no curso), mas você também pode comprar aqui: Amazon / Americanas / Saraiva / Submarino

Por enquanto, fico por aqui. 😉
Escreva seus comentários e sugestões para os próximos posts!
Até mais!

Anúncios

ANNIE

415r8pqEl+L._

Livro: Annie
Autor: Thomas Meehan
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 207

Para comprar o livro, clique em um dos links: Annie (Amazon) / Saraiva /Americanas / Submarino / Fnac / Cultura / Buscapé

“- Sabe, Sandy, a gente está se saindo muito bem – disse ela baixinho para o cachorro, enquanto ouvia os adultos do lado de fora cantando e conversando na noite quente de primavera. – Temos um lugar para ficar, comida, amigos e até um trabalho. Quer dizer, olhe só para gente! Já temos dezessete centavos!
Então, enquanto a lua cheia brilhante iluminava o barraco na Hooverville, Annie e Sandy adormeceram.”

Olá, leitores! 🙂

Ganhei o livro “Annie” num sorteio da Editora Intrínseca (Uhuuu!!). Minha mãe o enviou aqui pra Holanda e assim que chegou já comecei a lê-lo (Gente, é meu primeiro livro de papel desde que eu vendi os meus porque vinha morar aqui… imaginam a minha emoção?!). 😀

Essa história foi escrita em 1972 e é um musical famoso e premiado da Broadway. Escolhi falar sobre ela hoje, porque termina exatamente no Natal! ⭐

No começo do livro tem um texto do autor explicando como ele criou a história para o musical e depois como a transformou em um livro… é muito legal!

O livro conta a história de Annie, uma menina de 11 anos que vive em um orfanato e espera seus pais virem buscá-la. Isso porque ela foi deixada com “metade de um medalhão de prata pendurado no pescoço. Um bilhete sem assinatura tinha sido preso ao cobertor com um alfinete. ‘Por favor, cuidem bem da nossa menininha’, dizia o bilhete. ‘O nome dela é Annie e nós a amamos muito. Ela nasceu no dia 28 de outubro. Logo vamos voltar para buscá-la. Deixamos metade de um medalhão em torno do pescoço dela e guardamos a outra metade, pois assim, quando voltarmos, saberemos que ela é a nossa filha.”

Conhecemos um pouco sobre a vida dela no orfanato. A Srta. Hannigan, diretora de lá, é uma bruxa que bate nas meninas e as obriga a trabalhar. 👿

Na escola, as meninas do orfanato são maltratadas pelas crianças e pelos professores.

Apesar disso tudo, Annie é uma menina forte e otimista. Não chora quando apanha e seu lema é “O sol vai sair amanhã. Pode apostar seu último centavo nisso.”

Como seus pais não aparecem, Annie resolve fugir do orfanato e ir atrás deles. Assim, temos uma criança sem dinheiro e sem comida nas ruas de NY, no inverno de janeiro com apenas um casaquinho de lã. Ela não tem nem ideia de por onde começar.

Muitas coisas lhe acontecem pelo caminho: ela vai trabalhar duro em uma cantina, adota um cachorro, fica amiga de alguns moradores de rua, mas nada disso diminui sua esperança!

Agora, se ela encontra ou não os pais, só lendo pra saber…

Gostei muito do livro. É um livro com um ar infantil. Tem uma linguagem simples e a leitura é bastante fluente. Rapidinho você o lê. O otimismo de Annie, nos contagia. Às vezes, me pegava sorrindo enquanto lia uma parte da história.

Um dos pontos de que gostei foi o modo como NY, o cenário, faz parte da história. Eu que amo essa cidade, pude me sentir andando por suas ruas e vendo alguns de seus pontos principais.

Recomendo a leitura, pra quem quiser um momento de encanto!

Vai sair um filme ano que vem, mas não quis colocar o trailer aqui porque acho que ele conta demais! 🙄

Por enquanto, fico por aqui.
Um Natal cheio de paz, alegria e sonhos pra você!
Se já leu o livro, me conta o que achou. Se não leu, me conta se te interessou. 😉
Escreva seus comentários e sugestões para os próximos posts.
Até a próxima!

Annie 1

Li até a pág 100 e… “Annie”

LiAteAPagina100E

415r8pqEl+L._

Livro: Annie
Autor: Thomas Meehan
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 207

PRIMEIRA FRASE DA PÁGINA 100:
“- É – disse a Srta. Farrell. – Aquele Oliver Warbucks.”

DO QUE SE TRATA O LIVRO?
O livro fala sobre Annie, uma orfã de 11 anos que resolve fugir do orfanato para procurar seus pais.

O QUE ESTÁ ACHANDO ATÉ AGORA?
Estou gostando! É um livro mais infantil, mas contagiante. Em algumas partes, me peguei sorrindo enquanto lia.

O QUE ESTÁ ACHANDO DA PERSONAGEM PRINCIPAL?
Annie é uma menina encantadora. Forte o suficiente para não chorar quando apanha da dona do orfanato. Também é muito alegre e otimista. Ainda que não tenha nada a seu favor, tem certeza que encontrará seus pais e será feliz.

MELHOR QUOTE ATÉ AGORA:
“- Pelo menos você tem bolsos – retrucou Annie. – Muitas pessoas não têm nem isso hoje em dia, eu aposto.”

VAI CONTINUAR LENDO?
Sim!

ÚLTIMA FRASE DA PÁGINA:
“- Bem, ela deve ser simpática – disse a Srta. Farrell.”

Para comprar o livro, clique em um dos links: Annie (Amazon) / Saraiva /Americanas / Submarino / Fnac / Cultura / Buscapé

Essa tag foi tirada do blog Eu leio, Eu conto.

Por enquanto, fico por aqui.
O que achou desse tipo de post?
Escreva seus comentários e sugestões para os próximos!
Até mais!

Annie copy

“O Mercador de Veneza”

“ANTÔNIO – (…) Basta dizerdes-me o que é necessário que eu faça, o que julgardes que só pode ser por mim realizado, e eis-me disposto para tudo fazer. Falai, portanto.
BASSÂNIO – Em Belmonte há uma jovem que de pouco recebeu grande herança. É muito linda e, mais do que esse termo, de virtudes admiráveis. Outrora eu recebi de seus olhos mensagens inefáveis. Chama-se Pórcia, inferior em nada à filha de Catão, Pórcia de Bruto. Não lhe ignora o valor o vasto mundo, pois pelos quatro ventos lhe têm vindo de toda parte muitos pretendentes de fama sublimada. (…)”

Olá, ratinhos de biblioteca! 🙂

Hoje, vou falar sobre o livro “O Mercador de Veneza”, escrito por William Shakespeare entre 1596 e 1598.

A história se passa em Veneza, quando Bassânio (sim, esse livro tem nomes bem diferentes) pede que Antônio, um grande amigo e mercador de Veneza, o ajude a conseguir dinheiro para pedir Pórcia em casamento.

Pórcia mora em Belmont. Antes de morrer, seu pai deixou um enigma envolvendo três baús. Quem quisesse casar com a moça, deveria acertar o enigma. Muitos pretendentes estavam vindo de diversas partes, mas nenhum conseguia o cargo de “marido”.

Antônio tinha embarcações espalhadas pelo mundo. Ele dependia da chegada de algumas delas para conseguir o dinheiro que ia emprestar a seu amigo. Bassânio, então, teve que pedir um empréstimo a Shylock, um judeu que emprestava a juros. Antônio seria seu fiador, ele e Shylock tinham muitos desentendimentos. Como Shylock não gostava de Antônio, ficou acertado que ele emprestaria 3 mil ducados que deveriam ser devolvidos em 3 meses ou então “se a quantia ou quantias não pagardes, concordais em ceder, por equidade, uma libra de vossa bela carne, que do corpo vos há de ser cortada onde bem me aprouver.”

Essa é a trama principal da história: a busca pelo futuro marido de Pórcia, suas aflições com cada pretendente que conhecia, a ida de Bassânio ao encontro de Pórcia e o pagamento da dívida entre Antônio e Shylock.

Confesso que, no começo, pensei em desistir do livro algumas vezes, porque ele é escrito como texto teatral e com uma linguagem bem difícil, o que acaba deixando a leitura mais lenta. (Acredito que a edição que eu li, também não tenha ajudado muito… é essa da foto e está sendo revisada pela Amazon).

Mas, como o enredo me envolveu, decidi continuar e relevar as partes que me atrapalhassem. Assim, deu mais certo. No final, já estava curiosa para saber como tudo se desenvolveria, na torcida de que acontecesse o que eu queria.

A história traz um certo sarcasmo e uma discussão sobre judeus e cristãos, mostrando um pouco do preconceito sofrido pelo judeu Shylock. A trama é bem desenvolvida e apesar de ser, em alguns aspectos, um pouco previsível, também traz algumas partes bem surpreendentes.

41SCAgO3geL._AA160_

Compre o livro aqui: Saraiva / Americanas / Submarino / Fnac / Livraria da Travessa / Livraria da Folha

Autor: William Shakespeare

Para assistir ao trailer (do filme), clique aqui.

Por enquanto, fico por aqui.
Se já leu o livro, me conta o que achou. 😉
Escreva seus comentários e sugestões para os próximos posts.
Até semana que vem!

1513737_621594727962349_4484131609074558780_n

“A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS” – JULIO VERNE

“- Um bom inglês não brinca jamais, quando se trata de uma coisa tão séria quanto uma aposta, respondeu Phileas Fogg. Eu aposto vinte mil libras contra quem quiser que farei a volta ao mundo em oitenta dias ou menos, ou seja mil novecentas e vinte horas ou cento e quinze mil e duzentos minutos. Aceitam?

(…) – [Vou] Esta noite mesmo, já que hoje é quarta-feira 2 de outubro, deverei estar de volta a Londres, a este mesmo salão do Reform Club, no sábado 21 de dezembro, às oito e quarenta e cinco da noite…”

Olá, ratinhos de biblioteca! 🙂

O livro de hoje é um clássico publicado em 30 de janeiro de 1873.

Eu, particularmente, tenho um pé atrás com produções mais antigas. Acho, algumas vezes, a leitura muito parada, com uma linguagem muito rebuscada e termos desconhecidos. Mas, sempre dou uma chance para os livros, eles têm, mais ou menos, 50 págs para me conquistar 😀

E esse livro me conquistou!

Ele começa descrevendo Mr. Fogg. Um “homem muito polido e um dos mais perfeitos gentlemen da alta sociedade inglesa”. É um senhor muito sistemático que tem a vida toda regrada. Sempre faz as mesmas coisas, vai e volta do clube todo dia no mesmo horário e com o mesmo número de passos.

Também é bastante misterioso. Ninguém sabe sobre suas origens ou como conseguiu seu dinheiro. Fala o menos possível e seus únicos passatempos são ler jornal e jogar whist (cartas).

Logo no início, ele demitiu seu único criado (“porque o moço cometera a falta de lhe trazer para a barba água a oitenta e quatro graus Fahrenheit em vez de a oitenta e seis”) e contratou Jean Passepartout. Uma figura muito carismática! 🙂

No dia 2 de outubro, enquanto Fogg estava no clube, chegaram seus parceiros do jogo e começaram a conversar sobre um roubo de 55 mil libras que tinha sido feito ao Banco da Inglaterra no dia 29 de setembro. O jornal dizia que o autor do roubo era um gentleman bem apessoado que havia sido notado no dia do roubo.

Enquanto discutiam sobre o assunto, eles argumentaram que a terra “diminuiu”, porque se podia percorrê-la dez vezes mais rápido do que antes, o que ajudaria a polícia a tornar as buscas mais rápidas, mas também facilitaria a fuga do ladrão.

A partir disso, o assunto seguiu para o fato de que seria possível dar uma volta na Terra em 80 dias:

-De Londres a Suez pelo Monte Cenis e Brindisi, railways (trem) e paquetes (navio) 7 dias
-De Suez a Bombaim, paquete 13 dias
-De Bombaim a Calcutá, railway 3 dias
-De Calcutá a Hong Kong (China), paquete 13 dias
-De Hong Kong a Yokohama (Japão), paquete 6 dias
-De Yokohama a São Francisco, paquete 22 dias
-De São Francisco a Nova York, railroad (trem) 7 dias
-De Nova York a Londres, paquete e railway 9 dias

Eles discutiram que esse total poderia ser alterado no caso de contratempos, problemas com o tempo ou com os meios de transporte, mas Phileas Fogg afirmou que isso tudo estava incluso no prazo de 80 dias. Foi então que resolveram apostar 20 mil libras que Sr. Fogg não conseguiria realizar essa proeza. Ele afirmou que sairia na mesma noite, pois estava sempre preparado, e estaria de volta até dia 21 de dezembro às 20h45.

Terminou a partida de whist, foi para casa, pediu que Passepartout preparasse uma sacola de viagem e partiram em 10 minutos.

Assim, os dois embarcaram para uma viagem repleta de contratempos. Sendo um deles, o fato de que o detetive Fix suspeitou que Fogg fosse o ladrão do Banco da Inglaterra com uma desculpa para fugir de Londres e passou a persegui-lo e atrapalhá-lo ao longo do caminho.

Em certo ponto do percurso, a Srta. Aouda também passou a acompanhá-los. Alguns momentos foram bem difíceis.

Vou parar por aqui que não quero contar nada que não possa rsrs.

O livro é gostoso de ler. A maneira sistemática e tranquila do Sr. Fogg junto com a inocência e confusões de Passepartout deixam a história leve e bem-humorada. Com uma pitada de ansiedade por saber se ele vai ganhar a aposta ou não.

O vocabulário não é antigo e, portanto, não atrapalha em nada a leitura.

O que deixa a história um pouco mais lenta, são as descrições mais detalhadas dos lugares por onde eles passam, mas acredito que foi um jeito do autor dar mais veracidade para o texto. Para mim, que não conheço as cidades e não tenho muita curiosidade nesse sentido, não agregou muito.

Outro probleminha foram alguns erros de escrita, mas como esse é um projeto em que as pessoas se dispõem a traduzir livros de graça, o jeito é aceitar.

41A9ECYyomL._AA160_

Esse livro tem muitas edições em diferentes editoras, então fica até difícil dizer o preço e o número de páginas. Resolvi colocar aqui o mais barato que encontrei em cada uma das lojas.

Preços:
Amazon: R$13,99 (impresso) / GRÁTIS (kindle)
Saraiva: R$9,90 (impresso) / (versão digital)
Cultura: (impresso)
Fnac: R$11,60 (impresso)

Dá uma olhada no meu vídeo sobre o livro!

https://www.youtube.com/watch?v=fbliShPoJKk&list=UUZhVamKtdODz8eNnl0MkbLg

Link do book trailer: https://www.youtube.com/watch?v=MBxRGdrAtQ0

Por enquanto, fico por aqui.
Se já leu o livro, me conta o que achou (se tiver spoilers, não esquece de avisar logo no começo 😉 ).
Escreva seus comentários e sugestões para os próximos posts.
Até semana que vem!

10647094_372051529619100_4307923520187869444_n